Recuperação, tratamento e organização documental do Arquivo da Casa Lafões/Marialva

palacio_grilo

Recuperação, tratamento e organização documental do Arquivo da Casa Lafões/Marialva

(Projecto apoiado financeiramente pela Fundação Calouste Gulbenkian)

Em 2015 a Associação Portuguesa dos Arquivos Históricos Privados – APAHP com autorização do Sr. Duque de Lafões, Dom Afonso de Bragança, proprietário e detentor do Arquivo, concorreu a uma linha de Apoio da Fundação Calouste Gulbenkian “Recuperação, Tratamento e Organização de Acervos Documentais” propondo a “Recuperação, tratamento e organização documental do Arquivo da Casa Lafões/Marialva”, com o objetivo de se proceder à sua disponibilização online. Foi iniciado a 15 de outubro de 2015 e está agora disponível a todos os interessados no Sítio da Associação Portuguesa dos Arquivos Históricos Privados-APAHP, http://arquivoshistoricosprivados.pt/.

O Arquivo dos Duques de Lafões, instalado no Palácio do Grilo, em Lisboa, residência do atual Duque de Lafões, é um dos mais importantes arquivos particulares de Portugal, sendo constituído por códices, maços e documentos avulsos datados de meados do século XVII ao século XX e inúmeras públicas formas e treslados de documentação mais antiga, que se perdeu no Terramoto de 1755, quando desapareceram os Palácios dos Duques de Lafões, ao Chiado e dos Marqueses de Marialva, no Loreto.

Sendo um Arquivo de Famílias agrega os Fundos documentais das Casas que se uniram à Casa de Lafões através de heranças e laços matrimoniais.

O acervo documental hoje existente é, na sua maioria, de carácter administrativo, contendo preciosas informações sobre as Famílias, as antigas Comendas, Morgados, Padroados e Propriedades; registos da chancelaria privativa da Casa de Lafões, Cantanhede e Marialva até final de oitocentos.

Neste projeto e na impossibilidade de digitalizar toda a documentação, optámos por estabelecer as seguintes prioridades: Mercês recebidas pelos Condes e Marqueses de Marialva; Duques de Lafões e Conde de Cantanhede; história das casas – (memórias, monografias, tombos, registos da Chancelaria); idade e preservação dos documentos. Os documentos foram digitalizados, pela empresa Arquidigit, em formato TIFF, sem manipulação de imagem por software e bordadura a negro, com posterior aposição de marca de água, conversão JPEG e PDF multipágina e alta compressão dos documentos maiores.

Simultaneamente foi feito o tratamento arquivístico do Arquivo, por Assunção Júdice e Leonor Calvão Borges, na base de dados Docbase3, para Arquivos Históricos, e associados os documentos digitalizados aos respetivos registos.

O Plano de Classificação, que reflete a organização oitocentista pré-existente, contempla uma classificação orgânico-funcional formada por diferentes Fundos (as Casas Cantanhede, Lafões e Marialva), que por sua vez são subdivididos em vários Sub-fundos (Titulares dessas Casas: Conde de Cantanhede, Duque de Lafões, Marquês de Marialva) ordenados por geração, à semelhança do que tem sido prática arquivística corrente no nosso país. Em cada Casa foram ainda identificadas as áreas de administração relativas à sua gestão e classificadas em Secções, que correspondem à sua orgânica de gestão.

A base de dados está disponível no Site da Associação dos Arquivos Históricos Privados – APAHP (http://arquivoshistoricosprivados.pt/index.php/arquivos-privados/)  e ficará alojada no servidor da empresa DID-Documentação, Informática e Desenvolvimento, Lda.

Para aceder à pesquisa terá de ser accionado o botão Arquivos, com três hipóteses: Simples, Avançada ou Navegação (através do Plano de Classificação) ou o botão Multimédia para pesquisar somente as imagens associadas aos documentos.

Qualquer contacto deverá ser feito para a Associação dos Arquivos Históricos Privados – APAHP, através do email: arquivoshistoricosprivados@gmail.com

Assunção Júdice
assuncaojudice@gmail.com
2 Comments
  • Afonso de Bragança
    Posted at 19:00h, 17 December Reply

    Gostei muito

    • Assunção Júdice
      Posted at 18:12h, 18 December Reply

      Muito obrigada Afonso e agradeço o privilégio de poder trabalhar o Arquivo da sua Família
      Um abraço
      Assunção

Post A Comment